A coragem criativa tem me arrebatado nestes dias em que tanta coisa nova vem acontecendo. Esse tema veio à tona, principalmente, depois de ter assistido a uma palestra ministrada pelo professor Luiz Rufino, na FAAP de Ribeirão Preto. Fui para aprender mais, ouvir o que não sabia, e esse objetivo foi atingido com sucesso.

No entanto, algo a mais aconteceu, a epifania e, claro, a catarse, geradas principalmente por ouvir que a criação, apesar de ser e dever ser influenciada por personas, é individual. E é exatamente por essa razão que é preciso ter coragem e “força pra sonhar e perceber que a estrada (criativa) vai além do que se vê”. A estrada para aprender com a trajetória da criação é infinita. Vale aqui a redundância, sim.

Coragem para abraçar o que se cria. E dela expelir a mais pura criatividade. Coragem de se expor, e talvez, claro e com certeza, receber a tão dolorosa crítica. Até chegar ao ponto de não doer mais recebê-la e mais, conseguir tirar algo positivo dela. Sim, é possível reverter a crítica em crescimento e aprendizagem, e isso é puro treino e prática conscientes.

Coragem para enfrentar ideias absurdas que surgem. E como elas surgem. Graças ao Universo? Sim, graças ao Universo.

A gente passa muito tempo nutrindo que temos ausência de coragem criativa. Para mudar isso é preciso praticar na individualidade, se alimentar de conteúdos e acontecimentos ricos do dia a dia com a intenção de aumentar o repertório. E esse alimento diário é inesgotável, o pote sempre estará longe de ser cheio, e isso é fundamental para evoluir como criador. Ter em mente que há sempre o que aprender é garantia de evolução cognitiva e de uma explosão de criatividade.

Há de se ter mente aberta para experimentar e conhecer novas ideias. Abraçar a coragem com força é preciso, para que o que já existe possa ser transformado em algo próximo à originalidade. Mas há de se ter leveza também, deixar cair por terra o véu da pressão e da ansiedade em ser o criativão(barra)originalzão da vez, pois em todas as áreas, e de modo natural, exercemos a criatividade e também a inovação e a evolução do que já existe. Leveza é liberdade de expressão e criação.

Para concluir, é fundamental, para a prática da criatividade, não se atrelar a fórmulas e “receitas de bolo”. Ouvir e estar próximo de pessoas que tanto sabem deve nos motivar a querer ser, a cada novo dia, um pouquinho mais do que fomos ontem. Por isso, além do alimento diário, cercar-se de pessoas que nos movem a querer saber, que nos alimentam com coisas que acrescentam, é outra forma de crescer como criador, e sobretudo, como pessoa.

 

 

 

Alguma vez você já se irritou porque gostaria de saber qual o cardápio de um restaurante, mas não encontrou a página dele na internet? Ou até mesmo deu o feedback da experiência que teve como consumidor de uma marca e não teve uma resposta?

Talvez você não saiba, mas se já passou por isso, é um grande adepto ao marketing digital, como muitos outros que já notaram os benefícios de estar na vitrine online. Porém existem aqueles que ainda precisam ser convencidos de que um marketing digital bem estruturado dá bons resultados.

 

AS LISTAS TELEFÔNICAS FORAM BEM ÚTEIS, MAS FAZ TEMPO QUE NÃO SE VÊ UMA

Voltemos um pouco ao tempo, como as empresas poderiam ser encontradas antes da era digital? Eu me lembro de procurar os estabelecimentos nas grandes listas telefônicas, em cartões de visitas (os quais, às vezes, ficavam todos jogados, embora tentasse mantê-los organizados).

Nos dias atuais, quantas vezes você procurou algo em uma lista telefônica?

Com a facilidade mobile e suas extensas ferramentas, com certeza você vive em constante pesquisa. Aposto que hoje você já deu uma googlada, não?

 

O FUTURO É DOS DIGITAIS

Num futuro bem, bem próximo, as empresas  — e a busca por elas — estarão cada vez mais concentradas no digital. Se você quer que sua marca seja vista, buscada e encontrada, não adianta estar só no off-line. A não ser, claro, que você queira ainda manter-se pequena e no anonimato.

No entanto, é bem importante entender que estar na internet, ser digital, não se resume apenas ao fato de estar online. O Marketing Digital funciona muito bem se for feito de forma estruturada e estratégica. Só assim os resultados poderão ser medidos e a sua marca ganhará visibilidade. Lembre-se disso!

[Pretendemos falar melhor sobre isto num post futuro, ok?]

 

MAIS ALGUNS ARGUMENTOS IMPORTANTES

O investimento para o marketing digital é bem mais baixo do que ações off-line, que despendem de um valor alto para anunciar nos meios de comunicação.

A segmentação é outro quesito importante. No marketing digital é possível fazer uma separação bem específica do seu público, sendo possível criar ações, produzir conteúdo de forma mais objetiva e efetiva.

Se até aqui parece que nada convenceu, que tal pensar que, além do investimento ser mais baixo, a segmentação é efetiva. As redes sociais são um ótimo canal para você acompanhar seus clientes, saber do que eles precisam e assim aprimorar seus serviços?! A proximidade da marca com os clientes os fideliza e ainda cria novos consumidores, se a experiência for positiva.

E então, está convencido de que o universo digital contribui para o reconhecimento da sua empresa?
Compartilhe este post com quem você acha que se interessa pelo assunto!